comunicação | Notícias

ABERT completa 55 anos de história pela radiodifusão

Brasília – Associação conta com forte atuação frente à radiodifusão nacional.
04/12/2017

A Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT) completou 55 anos no último dia 27. A entidade nasceu em 1962, quando empresários de radiodifusão se reuniram para lutar contra os vetos do presidente João Goulart ao Código Brasileiro de Telecomunicações, aprovado pelo Congresso Nacional. A Associação congrega cerca de 3600 emissoras de Rádio e TV.

João de Medeiros Calmon, então presidente do Sindicato de Empresas de Radiodifusão do Rio de Janeiro, criou um grupo de trabalho para discutir o assunto. A reunião histórica aconteceu no Hotel Nacional, em Brasília, e reuniu representantes de 213 empresas. O encontrou resultou na derrubada dos vetos e na criação da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão – Abert no dia 27 de novembro daquele ano.

Após João Medeiros de Calmon, foram presidentes: João Jorge Saad (1970 – 1972); Adalberto de Barros Nunes (1972 – 1974); José de Almeida Castro (1974 – 1978); Carlos Cordeiro de Mello (1978 – 1980); Paulo Machado de Carvalho Filho (1980 – 1982); Joaquim Mendonça (1982 – 2000); Paulo Machado de Carvalho Neto (2000-2004); José Inácio Gennari Pizani (2004 – 2006); Daniel Pimentel Slaviero (2006-2010 e 2012-2016); Emanuel Carneiro (2010-2012). Atualmente, a ABERT tem como presidente Paulo Tonet Camargo, com mandato até agosto de 2018.

Convênios com o ECAD e com o MEC, boletins informativos com todos os temas de interesse à radiodifusão, acompanhamento dos projetos em tramitação no Congresso Nacional, assessorias técnicas nas áreas de rádio e de TV, assessoramento jurídico são alguns dos serviços oferecidos às emissoras associadas à ABERT.
Atualmente, a ABERT representa cerca de 3,6 mil emissoras comerciais de rádio e televisão. A entidade é assessorada por um Conselho Técnico e pelas diretorias de Assuntos Legais e Institucionais, Parlamentar, de Comunicação e Técnica.

Para o diretor geral da ABERT, Luis Roberto Antonik, a associação “se mostra cada vez mais preparada e madura para defender os interesses dos associados. Sempre em sintonia com os radiodifusores, a ABERT luta pela modernização do setor, seja na migração do rádio AM/FM e/ou na digitalização da TV. No Congresso Nacional, a ABERT representa os interesses das emissoras de rádio e TV, defendendo seus direitos ou propondo projetos que possam deixar a radiodifusão brasileira ainda mais forte”, afirma Antonik.

Com informações da ABERT