Comunicação

Notícias

  • CBF nega intenção de cobrar direito de transmissão de rádios

    25/10/2019 - Abert
    Discussão sobre cobrança ganhou força após fala de Andres Sanchez

    Em entrevista ao diretor da Associação de Cronistas Esportivos do Brasil (ACEB), Eraldo Leite, o secretário geral da Confederação Brasileira de Futebol, Walter Feldman, negou a informação de que a CBF estaria analisando a possibilidade de cobrar, das emissoras de rádio, os direitos de transmissão das partidas de futebol.

    “Essa pauta nunca chegou à CBF, nunca foi discutida, nem sequer comentada, seja em reunião oficial, seja nos bastidores. Nós consideramos que o rádio brasileiro e o papel que vocês, jornalistas, têm, é fundamental para, como diz o presidente Rogério Caboclo, capilarizar aquilo que é a nossa paixão nacional. Portanto, fora de pauta. Nenhuma possibilidade”, afirmou Feldman.

    A discussão sobre a cobrança ganhou força após entrevista do presidente do Corinthians, Andres Sanchez, que apoiaria a ideia.

    Alguns políticos contrários à possibilidade de cobrança chegaram a se mobilizar no Congresso Nacional. O senador Jorge Kajuru (Cidadania/GO) afirmou que pediria o apoio do presidente, Jair Bolsonaro, contra o projeto da CBF.

    A ABERT confia na posição da CBF de que não levará adiante tal iniciativa. Na legislação vigente (Lei nº 9.615/98 - Lei Pelé) não há previsão de cobrança para a transmissão radiofônica, pois se trata de um direito de interesse público, já consagrado, que assegura o acesso à informação da sociedade brasileira. Tal entendimento, inclusive, já foi ratificado pelo Poder Judiciário.