Comunicaçao | Mídias

  • Pernambuco cresce, junto com o estado vão os pernambucanos

    A primeira palestra do Fala Nordeste 2011 foi emblemática. Não apenas pelo conteúdo, que tratava da comunicação e valorização da marca em mercados regionais, com o especialista de publicidade - Varejo Nacional na FIAT Auto, Edward Sousa. Mas o que tornou o momento ainda mais importante foi ver um profissional de Pernambuco, representando uma multinacional como a FIAT e dando início a um congresso de radiodifusão no Nordeste. O Nordeste é a bola da vez. A mesa foi formada por Iuri Leite, Rede Globo e Marcelo Pitanga, Rádio Recife.

    Edward Sousa Apresentou uma das estratégias de atuação da FIAT no mercado da comunicação: a regionalização das mídias. “Em cada praça do Brasil temos uma agência. Essa é uma tendência da montadora para agilizar a apresentação e aprovação das peças, bem como para buscar falar direto com o consumidor, que tem hábitos de consumo diferenciados”, afirmou.

    Para finalizar sua apresentação, Edward Sousa incentivou o espírito associativista como ponto alto na evolução do mercado regional. “É notório perceber que o papel da associação de rádio e TV é muito importante neste processo de regionalização do mercado, e também na qualidade na padronização da mídia. Já que o papel exercido pelas associações são de extrema importância para a interiorização com qualidade de conteúdo diferenciado para cada região”, finalizou.

    Adalberto Piotto: Verdades e provocações

    A noite foi encerrada com a didática exposição do jornalista multifacetado Adalberto Flaviano Piotto, ex-CBN e apresentador de seminários nas áreas de política, economia e jornalismo, envolveu os participantes e fizeram duas horas e meia de debate parecerem rápidos minutos. A apresentação foi mediada pela diretora das rádios do Sistema Grande Rio de Comunicação, Ana Amélia Lemos e pelo jornalista Everton Teixeira.

    Adalberto provocou os participantes quando citou a questão do orgulho de ser brasileiro. “Não somos uma sociedade. Somos aglomerados de pessoas. Se tirarmos a Copa do Mundo e o Carnaval, não teremos muito do que nos orgulharmos em sermos brasileiros”, disparou. A partir de então, começou a expor uma série de dados preocupantes, ilustrando o quanto o dado de que o país Brasil já é a 7ª economia do mundo. O problema da educação foi o primeiro. Enquanto 67% das empresas têm dificuldade. O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) é de 4,6% para o ensino fundamental, 4% para o ensino médio, com meta de apenas 6% para 2021. “É muito pouco”, observou o jornalista.


    ASSERPE