Comunicaçao | Mídias

  • Marcelo Tas encerra Fala Nordeste 2011

    Ao fim de três dias de grandes debates, novos conhecimentos e muitos novos contatos estabelecidos, foi encerrada na noite da quarta-feira (15), no Mar Hotel em Recife- PE, a 7ª edição do Fala Nordeste. O evento foi finalizado em grande estilo, com uma palestra do jornalista e comunicador Marcelo Tas, apresentador do programa CQC, da rede Bandeirantes e um dos pilares atuais das integrações das mídias convencionais com a internet. Os debatedores da palestra foram Ivan Feitosa, diretor da rádio Liberdade de Caruaru e Ângelo Melo, presidente da ABAP-PE.

    “O que eu acho importante as pessoas entenderem é que as redes sociais são redes de gente, então continua valendo fazer tudo o que a gente sempre fez: entender a emoção, expressar-se com qualidade, respeitar o cara do outro lado, porque a velocidade com que trocamos histórias é altíssima e independe do lugar em que a gente está. É uma era bacana para quem entender isso”, afirmou.

    Para Tas, o monitoramento em redes sociais deve ser feito também de forma intuitiva. “Por mais que a gente tenha que acompanhar a evolução técnica, as novidades, Ipads e etc, o que vale, no fundo, é a conexão que você estabelece com a outra pessoa. Aí vale intuição, emoção, vale preparação, contar bem a história, reconhecer erro e agradecer quem te corrige. E vá entrando em sua velocidade nas redes, não deixando de entrar. Isso já é uma realidade, não coisa do futuro, já aconteceu. Se você ficar fora dessa brincadeira, você pode ir perdendo o contato com esse ouvinte que já se transformou”, destacou.

    Tas defende ainda a união entre todos os meios de comunicação afinal, a Internet já é considerada um meio de massa. “Hoje em dia, temos que entender que o vai e volta da comunicação é instantâneo. E é bom lembrar que comunicação não é o que eu falo, mas o que você está ouvindo. E nem sempre é a mesma coisa. Não tenha medo do sucesso. A gente se prepara demais para o fracasso no Brasil, então dê chances para que dê certo”, defendeu.

    De acordo com o comunicador, a integração entre as mídias convencionais (TV, rádio) com a internet é uma realidade e as emissoras devem acordar o quanto antes para a utilização desta nova plataforma. “Os veículos de comunicação demoraram muito para enxergar a revolução digital e um evento como este (Fala Nordeste) é muito importante para a gente trazer o tema da plataforma digital para o âmbito da radiodifusão”, afirmou Tas.


    ASSERPE